Ir para o conteúdo.

MANUAL SIAFI WEB

 













CAPÍTULO 020000 - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO GOVERNO FEDERAL - SIAFI
SEÇÃO 020300 - MACROFUNÇÕES
ASSUNTO 020325 - REGISTRO DOS AJUSTES DOS EFEITOS DA VARIAÇÃO CAMBIAL

Acções do Documento
    Geração de PDF
  • create PDF file

020325 - REGISTRO DOS AJUSTES DOS EFEITOS DA VARIAÇÃO CAMBIAL

por cargaúltima modificação 2012-04-20 15:06    Versões 

1 - REFERÊNCIAS

 

1.1 - RESPONSABILIDADE - Coordenador-Geral de Contabilidade.

 

1.2 - COMPETÊNCIA - Portaria/STN N. 833, de 16 de dezembro de 2011, que revogou a IN/STN Nº 05, de 06 de novembro de 1996.

 

1.3 - FUNDAMENTOS

 

1.3.1 - BASE LEGAL

 

1.3.1.1 - Art. 83, 85, 89, 93 da Lei n. 4.320/1964.

 

1.3.1.2 - Art. 130 e 136 do Dec. n. 93.872/1986.

 

1.3.2 - BASE ADMINISTRATIVA

 

1.3.2.1 - Normas Brasileiras de Contabilidade editadas pelo Conselho Federal

de Contabilidade - CFC.

 

1.3.2.2 - Normas Internacionais de Contabilidade para o Setor Público - NICSP

Nº 04.

 

2 - APRESENTAÇÃO

 

A Unidade Gestora do Exterior e uma UG Executora, ON-LINE ou OFF-LINE,

que efetua seus registros sempre em moeda estrangeira. Este tipo de UG executa

o orçamento na moeda do pais e isto provoca a distorção de informação quando

são efetuadas consultas consolidadas da UG, no Brasil.

  

3 - FINALIDADE

 

Permitir o conhecimento do processo do registro diário dos ajustes dos

efeitos da variação cambial, observada nas demonstrações contábeis de UG no

exterior.

 

 4 - REGISTROS EM MOEDA ESTRANGEIRA

 

4.1 - Regras gerais para registros em moeda estrangeira

 

4.1.1 - Na entrada de dados, sempre que o registro envolver UG em moedas dez-

tintas, o sistema exigira o preenchimento da taxa de câmbio.

 

4.1.2 - Na entrada de dados o campo pode ser preenchido ainda que não

envolva UG em moedas distintas, entretanto essa taxa não interferirá na

contabilização.

 

4.1.3 - Na entrada de dados, a taxa de câmbio e de livre informação pelo

usuário, entretanto deve respeitar parâmetros mínimo e Maximo, oriundos da

Transação >CONCAMBIO, conforme abaixo:

 

- taxa mínima: até 10% menor que a menor cotação do ano;

 

- taxa máxima: até 50% maior que a maior cotação do ano.

 

4.1.4 - Na entrada de dados não são aceitos roteiros contábeis que envolvam

mais de duas moedas. Não existe limitação para o numero de UG envolvidas,

apenas para o número de moedas já que em cada documento pode ser registrada

apenas uma taxa de câmbio.

 

4.1.5 - Nos registros entre UG em moedas distintas uma delas devera ser uma UG

em moeda nacional.

 

4.1.6 - Na entrada de dados são informados os valores na moeda da UG emitente

e o sistema convertera automaticamente a partir da taxa informada para

Registro na moeda da outra UG.

 

4.1.7 - Nem todos os documentos prevêem a informação de taxa de câmbio. Os do-

cumentos sem esse campo não podem envolver UG em diferentes moedas.

 

4.1.8 - Existem eventos que não permitem a utilização de UG em moedas distin-

tas. Eles são identificados na Transação >CONEVENTO, parâmetro CAMBIO.

 

4.1.9 - A atualização das taxas na Transação >CONCAMBIO e feita automaticamen-

te pelo SPB através da mensagem GEN0015.

 

4.1.10 - O registro do ajuste e feito na UG de Diferença Cambial e não inter-

fere nos lançamentos originais. Assim, o valor a ser registrado nas UG do pais

e do exterior deriva da taxa de câmbio informada.

 

4.1.11 - Todo Órgão que tenha UG em moeda estrangeira devera possuir uma, e

apenas uma, UG de Diferença Cambial. Ainda que o Órgão possua mais de uma UG

em moeda estrangeira, ou que essas UG sejam em mais de uma moeda estrangeira

os ajustes deverão ser feitos em uma única UG de Diferença Cambial.

 

5 - APRESENTAÇÃO DAS INFORMAÇÕES EM MOEDA NACIONAL

 

5.1 - Relativamente aos registros em moeda estrangeira podemos observar duas

modalidades de UG no SIAFI:

 

- Aquelas que efetuam seus registros em moeda nacional, abrangidas aqui a

grande maioria das UG (também chamada de "UG do País");

 

- Aquelas que efetuam seus registros em Moeda Estrangeira, que a partir de

2004 pode ser qualquer moeda e não somente o dólar como se verificava ante-

riormente (também chamada de "UG do Exterior").

 

5.2 - Da necessidade de manter compatíveis os saldos de contas com registro no

pais e contrapartida no exterior, surgiu uma outra modalidade de UG no SIAFI:

 

- UG de Diferença Cambial, assim entendida aquela UG que tem como única função

abrigar registros de ajuste dos efeitos da variação cambial dos Órgãos.

Os saldos dessas UG não podem ser movimentados para outras UG e não correspondem

a bens, direitos, obrigações ou quaisquer outros tipos de controles contábeis,

sendo sua existência responsável tão somente pela adequada apresentação dos

dados consolidados dos Órgãos que tem UG em moeda estrangeira. Seus registros

são feitos sempre em moeda nacional. Os dados ficam segregadas em UG especifica

para maior controle e transparência das informações relativas ao ajuste da

variação cambial.

 

5.3 - Dessa forma, ressalte-se que não serão todas as contas contábeis em

moeda estrangeira que ensejarão tais ajustes, apenas aquelas que guardam

correlação com outras no pais e que deverão ser ajustadas por intermédio da UG

de Diferença Cambial.

 

5.4 - Ainda com relação aos ajustes, esses não serão cabíveis nas operações

entre duas UG em moeda estrangeira, sem reflexo no país.

 

5.5 - Registre-se ainda que a UG de Diferença Cambial recebe apenas registros

automáticos e que seus saldos não estão disponíveis para transferências a

outras UG ou para alocação em despesas ou qualquer outra finalidade. Os

saldos dessa UG servem exclusivamente para ajuste das informações a serem

divulgadas em moeda nacional.

 

5.6 - Na Transação >CONUG, parâmetro MOEDA, pode ser consultada a informação

relativa a moeda em que a UG executa. A UG de Diferença Cambial e identificada

nessa mesma transação pelo parâmetro DIFERENCA CAMBIAL.

 

5.7 - Nas demonstrações e relatórios sintéticos, em moeda nacional, a

conversão dos saldos das UG em moeda estrangeira será realizada observando o

seguinte:

 

- No mês aberto: será utilizada a taxa do dia anterior, ou a última registra-

da, para apresentação dos valores em moeda nacional.

 

- No mês fechado: será utilizada a taxa do último dia do mês, ou a última

registrada, para apresentação dos valores em moeda nacional. A mesma regra e

valida no encerramento do exercício.

 

5.8 - Para a conversão de saldo necessária para todas as consultas em Real de

informações registradas em outras moedas, ao invés de usar a taxa media dos

documentos emitidos, regra da Transação >CONTAXCONV, passara a utilizar a taxa

oficial do Banco Central, disponível na Transação >CONCAMBIO.

 

5.9 - Enquanto não são feitas as alterações necessárias para que o SIAFI

consulte diretamente a Transação >CONCAMBIO, a Transação >CONTAXCONV ira

apresentar informações oriundas da Transação >CONCAMBIO e no mais a media.

 

5.10 - A análise dos dados impactados por saldos de UG em moeda estrangeira

deve levar em consideração essa peculiaridade. Sobre o assunto, apresentamos

abaixo exemplo e comentários sobre umas das situações impactadas e para a qual

deve-se ter precaução na análise:

 

Mês Mov. US$ Saldo US$ TxMes Mov. R$ Saldo R$

----------------------------------------------------------------

JAN + 100,00 100,00 2,5 + 250,00 250,00

FEV 0,00 100,00 2,6 0,00 260,00

MAR + 100,00 200,00 2,7 + 270,00 540,00

DEZ 0,00 200,00 3,0 0,00 600,00

SOMA 200,00 - - 520,00 -

 

Comentário:

----------

* O saldo final da conta e US$ 200,00 que equivale a R$ 600,00 em DEZ.

* O somatório dos movimentos em cada mês em moeda estrangeira e US$ 200,00.

* O somatório dos movimentos em cada mês em moeda nacional e R$ 520,00.

* Observe que os valores encontrados em R$ não coincidem (saldo R$ 600,00 X

somatório R$ 520,00).

 

Motivo: O Saldo final e o valor do saldo em Dólar convertido a taxa mais

atual. O somatório dos valores em Real em cada mês e o valor do movimento em

Dólar convertido para Real nas taxas de cada mês de movimento.

 

Assim, deve-se ter atenção ao utilizar as consultas, especialmente aquelas do

SIAFI Gerencial, para que não sejam feitas inferências incorretas sobre os da-

dos.

 

Outra situação que merece destaque e o fato de que no SIAFI os valores são

efetivamente registrados na moeda da UG. Entretanto o SIAFI dispõe de algumas

funcionalidades que permitem a consulta em Real dos valores registrados em ou-

tras moedas, destaque para as Transações >BALANCETE e >CONRAZAO. Ressalte-se

que quando o detalhamento chega em nível de documento, o valor somente poderá

ser observado na moeda do registro.

 

6 - AJUSTE DA VARIAÇÃO CAMBIAL

 

6.1 - O ajuste dos efeitos da variação cambial dos saldos das Unidades Gestoras

em moeda estrangeira, a partir de 2005, passa a ser automático e diário para as

contas definidas pela CCONT, mantendo a informação consistente para consulta a

qualquer momento. Além disso, a taxa de câmbio utilizada na conversão passa a

ser única para todos os Órgãos e tem como fonte a informação oficial do Banco

Central (Transação >CONCAMBIO).

 

7 - MECANISMO UTILIZADO

 

A partir de um equilíbrio inicial, o processo mantêm os valores ajustados,

trazendo da taxa informada no documento para a taxa atual e, posteriormente,

comparando a taxa do último ajuste a atual. Os saldos iniciais, portanto, de-

vem estar equilibrados.

 

7.1 - Ajuste dos Documentos

 

Sempre que for emitido documento envolvendo UG em diferentes moedas, esse

será marcado no momento da entrada de dados. Os documentos marcados participam

do processo de ajuste. Com base no valor registrado em moeda estrangeira na UG

do Exterior ("UG de leitura") presente no espelho contábil, o sistema calcula

o valor a ser registrado, por conta contábil e conta corrente, comparando a

taxa informada no documento com a taxa atual da Transação >CONCAMBIO. A partir

dessas informações o sistema identifica na Transação >CONCONTA o evento a ser

acionado, emitindo um documento do tipo "SV" de forma automática na UG de

Diferença Cambial do respectivo Órgão ("UG de registro").

 

7.1.1 - Rotina de ajuste dos Documentos

 

7.1.1.1 - Documentos que participam do processo: Documentos marcados na entra-

da de dados.

 

7.1.1.2 - Documentos a serem marcados na entrada de dados: Documentos que

tenham em seu espelho contábil UG em moeda nacional e UG em moeda estrangeira.

 

7.1.1.2.1 - Os documentos com operações entre duas UG em moeda estrangeira,

não serão marcados e, portanto, não serão ajustados no processo de ajuste dos

lançamentos.

 

7.1.1.3 - Identificação das Contas Contábeis que participam do processo:

Transação >CONCONTA, parâmetro VARIAÇÃO CAMBIAL.

 

7.1.1.4 - Identificação da UG em moeda nacional e estrangeira: Transação

>CONUG, parâmetro MOEDA.

 

7.1.1.5 - Cálculo do valor a ser ajustado:

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa do Dia (taxa a ser utilizada no processo atual de ajuste, oriunda

da >CONCAMBIO);

TxInf = Taxa informada no documento.

 

7.2 - Ajuste dos Saldos

Com base no saldo em moeda estrangeira da UG do Exterior, o sistema calcula o

valor a ser registrado, por conta contábil e conta corrente, comparando a taxa

do último ajuste com a taxa atual (obtida na Transação >CONCAMBIO). A partir

dessas informações o sistema identifica na Transação >CONCONTA o evento a ser

acionado, emitindo um documento do tipo "SV" de forma automática na UG de

Diferença Cambial do respectivo Órgão.

 

7.2.1 - Rotina de ajuste dos Saldos

 

7.2.1.1 - Identificação das Contas Contábeis que participam do processo: Tran-

sação >CONCONTA, parâmetro VARIACAO CAMBIAL.

 

7.2.1.2 - Saldo a ser considerado para fins de ajuste de câmbio: saldo da

conta contábil, por conta corrente, excetuadas as operações entre UG em moeda

estrangeira.

 

7.2.1.2.1 - O sistema ira acumular os saldos, já excluídas as operações entre

UG em moeda estrangeira.

 

7.2.1.3 - Cálculo do valor a ser ajustado:

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxAnt)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa do Dia (taxa a ser utilizada no processo atual de ajuste,

oriunda da Transação >CONCAMBIO);

TxAnt = Taxa Anterior (taxa utilizada no último processo de ajuste).

 

7.3 - Montagem do documento de Ajuste

 

7.3.1 - Campo UG Emitente: UG de Diferença Cambial do Órgão.

 

7.3.2 - Identificação da UG de Diferença Cambial onde será feito o registro:

Transação >CONUG, parâmetro Órgão = "mesmo Órgão da UG do exterior", parâmetro

DIFERENÇA CAMBIAL = SIM.

 

7.3.3 - Campo Favorecido: e preenchido sempre com a UG do Exterior (UG de

leitura) para facilitar a identificação.

 

7.3.4 - Seleção do evento: será escolhido entre os dois (debito e credito)

registrados na Transação >CONCONTA no parâmetro VARIAÇÃO CAMBIAL da conta

de leitura. Apenas contas com eventos nesse parâmetro participam do processo.

 

7.3.5 - Montagem do Conta Corrente: as informações são obtidas no documento ou

na conta de leitura.

 

7.4 - Processamento das Rotinas

 

7.4.1 - O processamento das rotinas devera seguir a seguinte ordem:

 

*) Abertura do SIAFI

--------------------

a) Emissão de documentos pelos usuários do SIAFI.

a.1) (Var.Cambial)Marcação dos documentos que serão submetidos ao Processo.

b) Atualização diária das taxas (SPB - GEN0015)

c) Consultas no SIAFI com informações de câmbio já ajustadas.

 

*) Fechamento do SIAFI

----------------------

d) Emissão de documentos pelas rotinas Batch (exceto esta).

e) (Var.Cambial)Identificação das contas, valores e montagem dos documentos.

f) (Var.Cambial)Registro dos documentos automáticos de ajuste.

g) Atualização do Balancete, incluindo os registros desta rotina.

 

7.4.2 - Ausências ou inversões na ordem de processamento dessas rotinas

poderão gerar desequilíbrios nas informações contábeis do dia seguinte. Os

desequilíbrios, em uma situação normal, serão ajustados pelo processo no dia

seguinte.

 

7.4.3 - Ausências e Inversões mais comuns e suas conseqüências a informação:

 

- Falta de atualização da taxa do dia ou encaminhamento pelo SPB após

fechamento do SIAFI: os registros serão atualizados com a taxa do dia anterior

ocasionando um dia de defasagem na informação.

 

- Início do processo de ajuste antes do término das rotinas batch: se algum

dos documentos registrados envolver UG no exterior, este só será ajustado no

dia seguinte.

 

- Início da atualização do balancete antes do término dos registros

automáticos de ajuste: o balancete ficara desequilibrado/incompleto.

 

7.5 - Inclusão e Exclusão de evento

 

7.5.1 - Sempre que forem incluídas ou excluídas contas do processo de ajuste o

sistema irá acionar a seguinte rotina:

 

a) Se forem excluídos os eventos no campo ajuste de câmbio: o sistema ira

ativar "flag" (sinalizador) para que seja acionada a rotina especial de

exclusão de conta no processo;

 

b) Se forem incluídos os eventos no campo ajuste de câmbio: o sistema irá

ativar "flag" (sinalizador) para que seja acionada rotina especial de inclusão

de conta no processo.

 

7.5.2 - Para efeito dessa verificação (inclusão ou exclusão), comparar a

posição inicial do evento no dia (se preenchido ou não), com a posição final

do evento no dia (se preenchido ou não). Assim, se o evento for excluído e

incluído no mesmo dia ele não irá acionar rotinas especiais.

 

7.5.3 - Alteração nos eventos não implicarão em acionamento de rotinas

especiais.

 

7.5.4 - Descrição das Rotinas Especiais:

 

a) Inclusão de evento em conta sem saldo e sem movimento

--------------------------------------------------------

A partir da inclusão, a conta participara normalmente do processo de ajuste

automático. Não serão necessários procedimentos adicionais.

 

b) Inclusão de evento em conta com saldo no exercício

-----------------------------------------------------

* não serão feitos registros nos meses fechados

* o registro será com o valor da variação acumulado

* a compatibilidade apenas poderá ser verificada a partir do mês de inclusão

do evento, ou no mês anterior caso esteja aberto na época da inclusão.

 

b1) Lançamentos posteriores a inclusão

 

A partir da inclusão a conta participara normalmente do processo de ajuste

automático. Não serão necessários procedimentos adicionais.

 

b2) Lançamentos dentro do exercício, mas anteriores a inclusão do evento.

 

O sistema irá recuperar os registros já efetuados, registrando o ajuste devido

na taxa atual.

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxInf = Taxa informada no documento.

 

b3) Saldo do exercício anterior.

 

O mecanismo utilizado mantêm o saldo atualizado. Portanto, deve existir um

equilibrio inicial de responsabilidade da CCONT/STN.

 

- Fórmula: Saldo em R$ - (Saldo em US$ X TxAbertura)

 

Onde:

Saldo em R$ = Saldo na UG do Pais;

Saldo em US$ = Saldo na UG do Exterior (UG Leitura);

TxAbertura = Taxa do dia 01 de janeiro na Transação >CONCAMBIO (essa taxa

será igual a taxa do dia 31 de dezembro do ano anterior).

 

b4) Saldo inicial do exercício

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxAbertura)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxAbertura = Taxa do dia 01 de janeiro na Transação >CONCAMBIO.

 

c) Exclusão de evento durante o exercício

 

Deverão ser estornados os ajustes já efetuados para aquela conta, durante o ano

na UG de Diferença Cambial. Os estornos serão feitos a partir do espelho

contábil dos documentos originais de ajuste, promovendo o desfazimento, na

data atual, do que havia sido feito anteriormente.

 

* Nos meses já fechados, como não poderão receber registros de estorno, não

poderá ser observado o desfazimento.

 

7.6 - Registros Retroativos (mês aberto) / Transação >CONCAMBIO desatualizada

 

7.6.1 - Transação >CONCAMBIO atualizada

 

a) Lançamento no próprio dia: (regra geral de ajuste)

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxInf = Taxa informada no documento.

 

b) Lançamento retroativo no próprio mês:

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxInf = Taxa informada no documento.

 

* Não são feitos ajustes dos dias intermediarios, sendo trazido diretamente

para a taxa do dia atual.

 

c) Lançamento retroativo no mês anterior aberto:

 

c.1) 1a Fase: trazer ajuste ao fechamento do mês

 

- Fórmula: no mês anterior = R$ajuste = US$ X (TxFec - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxFec = Última taxa do mês anterior (taxa de fechamento);

TxInf = Taxa informada no documento.

 

* lançamento do documento de ajuste no último dia mês anterior.

 

c.2) 2a Fase: trazer o ajuste ao dia atual

 

- Fórmula: no mês atual = R$ajuste = US$ X (TxDia - TxFec)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxFec = Última taxa do mês anterior (taxa de fechamento).

 

* O valor considerado será apenas do valor do documento, já que o restante do

saldo será ajustado pela rotina de ajuste dos saldos.

 

7.6.2 - CONCAMBIO desatualizada

 

a) Lançamento no próprio dia, taxa do dia não cadastrada:

 

a.1) Processo "dia 2":

 

* Na falta da Taxa do "dia 2", a Taxa do dia (TxDia) passa a ser a do "dia 1".

 

a.1.1) Ajuste do saldo

 

- Fórmula: TxDia = TxAnt => NAO REGISTRA

 

Onde:

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxAnt = Taxa da Última Atualização;

Tx1 = Taxa do "dia 1".

 

* No caso: TxDia e TxAnt = Tx1 (ou seja, a taxa do dia não foi atualizada).

 

a.1.2) Ajuste dos lançamentos

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxInf = Taxa informada no documento;

Tx1 = Taxa do "dia 1".

 

* O sistema salva a taxa utilizada no último ajuste, para permitir o ajuste no

dia seguinte.

 

a.2)Processo "dia 3":

 

a.2.1) Ajuste do saldo

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxAnt)

 

* Não usa a Tx2, pois a atualização anterior foi com base na Tx1.

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxAnt = Taxa da Última Atualização;

Tx1 = Taxa do "dia 1";

Tx2 = Taxa do "dia 2";

Tx3 = Taxa do "dia 3".

 

a.2.2) Ajuste dos lançamentos

 

Processo normal.

 

b) Lançamento em dia anterior dentro do mês, taxa do dia (atual) não cadastra-

da:

 

* Exemplo: No dia 7, lançamento com data do dia 3.

 

b.1) Processo "dia 7"

 

* Na falta da Taxa do "dia 7", a Taxa do dia (TxDia) passa a ser a do "dia 6".

 

b.1.1) Ajuste do Saldo

 

- Fórmula: TxDia = TxAnt => NAO REGISTRA

 

Onde:

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxAnt = Taxa da Última Atualização;

Tx6 = Taxa do "dia 6".

 

* No caso: TxDia e TxAnt = Tx6 (ou seja, a taxa do dia nao foi atualizada).

 

b.1.2) Ajuste dos Lançamentos

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxInf = Taxa informada no documento;

Tx6 = Taxa do "dia 6".

 

b.2) Processo "dia 8"

 

b.2.1) Ajuste do Saldo

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxAnt)

 

* Não usa a Tx7, pois a atualização anterior foi com base na Tx6.

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxAnt = Taxa da Última Atualização;

Tx6 = Taxa do "dia 6";

Tx7 = Taxa do "dia 7";

Tx8 = Taxa do "dia 8".

 

b.2.2) Ajuste dos lançamentos

 

Processo normal.

 

* O sistema salva a taxa utilizada no último ajuste, para permitir o ajuste no

dia seguinte.

 

c) Lançamento em dia do mês anterior aberto, taxa de fechamento do mês não

cadastrada:

 

c.1) Processo "dia 7"

 

c.1.1) No mês anterior aberto:

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxFec - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxFec = Taxa de fechamento do mês (última taxa do mês na Transação

>CONCAMBIO);

TxInf = Taxa informada no documento;

Tx29 = Taxa do "dia 29".

 

* Ajusta da taxa informada para a última taxa do mês.

 

* No exemplo a última taxa do mês deveria ser a do dia 30, entretanto ela não

havia sido cadastrada.

 

* Lançamento no último dia do mês aberto.

 

c.1.2) No mês atual:

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxFec)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxFec = Taxa de fechamento do mês (última taxa do mês na Transação

>CONCAMBIO);

Tx7 = Taxa do "dia 7";

Tx29 = Taxa do "dia 29".

 

* Ajusta da última taxa do mês para a taxa do dia.

 

c.2) Processo "dia 8"

 

* Foi lançada a taxa do dia 30 (última taxa do mês). A taxa do fechamento

(última taxa do mês na Transação >CONCAMBIO) deixou de ser a do dia 29 e

passou a ser a do dia 30.

 

c.2.1) No mês anterior aberto:

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxFec - TxFec)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxFec = Taxa de fechamento do mês (última taxa do mês na Transação

>CONCAMBIO);

Tx29 = Taxa do "dia 29";

Tx30 = Taxa do "dia 30".

 

* Lançamento no último dia do mês aberto.

 

c.2.2) No mês atual:

 

Não são necessários ajustes especiais relativos a mudança de taxa de fecha-

mento do mês anterior, já que eles serão atualizados pelo processo normal.

Demais ajustes seguem roteiro normal.

 

* No mês atual o interesse e que o valor fique ajustado a taxa do dia, assim,

não são necessários ajustes, pois o valor já esta ajustado nesta taxa.

 

7.7 - Ajuste de Câmbio no Encerramento do Exercício

 

7.7.1 - Regra Geral

 

* Nos esclarecimentos que se seguem o SIAFIxxx1 representa o exercício que es-

ta sendo encerrado e o SIAFIxxx2 representa o exercício que esta se inician-

do. Para todos os casos consideramos os dois exercícios abertos, ou seja,

estamos em janeiro de xxx2.

 

7.7.1.1 - Para o SIAFIxxx1:

 

- Os registros no mês de dezembro recebem o mesmo tratamento descrito nesta

macrofunção, considerando como taxa para ajuste a taxa de fechamento do ano

que e a última de dezembro.

 

7.7.1.2 - Para o SIAFIxxx2:

 

a) Contas com indicadores no parâmetro ENCERRAMENTO igual a "02 - CONTA COM

ENCERRAMENTO NA PRIMEIRA ETAPA" ou "03 - CONTA COM ENCERRAMENTO NA SEGUNDA

ETAPA", ou seja, aquelas que não passam saldo para o próximo exercício: a ro-

tina de ajuste diário inicia já no primeiro dia do ano.

 

* Os documentos emitidos com base na regra descrita nesse item "a" serão as-

sinalados ("flag a"), para permitir o tratamento de exceções descritas

abaixo.

 

b) Contas com indicador no parâmetro ENCERRAMENTO igual a "00 - CONTA PARA

REGISTRO DIARIO DE DOCUMENTOS", ou seja, aquelas que passam saldo para o pró-

ximo exercício: a rotina de ajuste diário inicia com o fechamento do exercício

anterior (mudança do estado do sistema para 5 - FECHADO). O saldo inicial e os

lançamentos já efetuados recebem, nesta data, o seguinte tratamento:

 

b.1) Saldo Inicial: e ajustado ate o dia atual.

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxFecAno)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxFecAno = Taxa de fechamento do ano anterior (última taxa do mês de dezembro

na Transação >CONCAMBIO, SIAFIxxx1).

 

* Lançamento no último dia do mês aberto.

 

b.2) Lançamentos: são ajustados ate o dia atual (utilizando a regra de

inclusão de evento em conta com saldo e com ou sem movimento no exercício). Ou

seja: - - Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO (SIAFIxxx2);

TxInf = Taxa informada no documento.

 

* Os documentos emitidos com base na regra descrita nesse item "b" serão

assinalados ("flag b"), para permitir o tratamento de exceções descritas

abaixo.

 

7.7.2 - Alteração no estado do sistema após o fechamento

 

Caso o estado do sistema, referente ao exercício que esta sendo encerrado

(SIAFIxxx1), seja alterado para 5 - FECHADO e, posteriormente, seja reaberto:

 

7.7.2.1 - Contas com indicador ENCERRAMENTO = "00 - CONTA PARA REGISTRO DIARIO

DE DOCUMENTOS" (passa saldo) deverão ter o seguinte tratamento:

 

a) Os registros efetuados para ajuste de câmbio em xxx2 deverão ser ESTORNA-

DOS. Para identificação dos lançamentos a serem estornados, utilizar documen-

tos assinalados com "flag b", conforme rotina descrita acima.

 

b) Enquanto o estado do sistema no SIAFIxxx1 não voltar ser 5 - FECHADO o

ajuste deve permanecer suspenso no SIAFIxxx2 e ser executado normalmente

(diariamente) no SIAFIxxx1.

 

c) Quando o estado do sistema no SIAFIxxx1 voltar a ser 5 - FECHADO efetuar

rotina descrita na Regra Geral, parâmetro ENCERRAMENTO igual a "00 - CONTA

PARA REGISTRO DIARIO DE DOCUMENTOS" (letra "b" acima).

 

* Ou seja, nesse caso o sistema deve estornar o que foi feito e aguardar o

fechamento novamente para refazer registros.

 

7.7.2.1 - Contas com indicador ENCERRAMENTO = "02 - CONTA COM ENCERRAMENTO NA

PRIMEIRA ETAPA" ou "03 - CONTA COM ENCERRAMENTO NA SEGUNDA ETAPA": Como não

passam saldo de um exercício para o outro, a mudança não afeta as referidas

contas, não sendo necessário quaisquer providencias no SIAFIxxx2.

 

7.7.3 - Alteração no indicador de encerramento

 

Caso o parâmetro ENCERRAMENTO da Transação >ATUCONTA seja alterado no

SIAFIxxx1 (exercício que esta encerrando) no período compreendido entre o pri-

meiro dia de xxx2 e o fechamento do SIAFIxxx1 (mudança no estado do sistema

para 5 - FECAHADO), devera receber os tratamentos abaixo no SIAFIxxx2:

 

Legenda:

Transação >ATUCONTA - Parâmetro ENCERRAMENTO

00 - CONTA PARA REGISTRO DIARIO DE DOCUMENTOS (passa saldo)

02 - CONTA COM ENCERRAMENTO NA PRIMEIRA ETAPA (não passa saldo)

03 - CONTA COM ENCERRAMENTO NA SEGUNDA ETAPA (não passa saldo)

 

a) Alteração no SIAFIxxx1 do Parâmetro ENCERRAMENTO da Transação >ATUCONTA de:

"00" (passa saldo) para: "02" ou "03" (não passa saldo):

 

a1) Lançamentos dentro do exercício, mas anteriores a alteração do parâmetro

e, portanto, não ajustados.

 

O sistema irá recuperar os registros já efetuados, registrando o ajuste devido

na taxa atual.

 

- Fórmula: R$ajuste = US$ X (TxDia - TxInf)

 

Onde:

R$ajuste = valor do ajuste a ser realizado;

US$ = Valor em Moeda Estrangeira;

TxDia = Taxa atual na Transação >CONCAMBIO;

TxInf = Taxa informada no documento.

 

a2) Lançamentos posteriores a alteração do parâmetro:

 

A partir desta data a conta participara normalmente do processo de ajuste

automático. Não serão necessários procedimentos adicionais.

 

b) Alteração no SIAFIxxx1 do Parâmetro ENCERRAMENTO da Transação >ATUCONTA de:

"02" ou "03" (não passa saldo) para: "00" (passa saldo):

 

b1) Lançamentos posteriores a alteração do parâmetro:

 

Suspender, para a conta alterada, a rotina de ajuste diária no SIAFIxxx2. Ela

passa a pertencer a regra das contas que passam saldo e devera aguardar o

encerramento do exercício anterior (SIAFIxxx1) para iniciar o processo.

 

b2) Ajustes registrados antes da alteração do parâmetro:

 

Foram assinalados com "flag a" no momento da emissão e serão automaticamente

estornados.

 

7.7.3.1 - Alterações feitas no SIAFIxxx2 (exercício que esta iniciando) não

impactam nessa rotina.

 

7.8 - Consulta e/ou regularização de registros na >CONPROCBT

 

Os documentos gerados automaticamente pelo processo de ajuste diário dos

efeitos da variação cambial podem ser consultados por intermédio da Transação

>CONPROCBT, utilizando-se no parâmetro "ARQUIVO: SV", onde SV e a Nota de

Lançamento de Sistema - Variação Cambial. As rotinas de estorno, por suas

características, serão consultadas na Transação >CONPROCBT utilizando-se o

"ARQUIVO: SC", onde SC e a Nota de Lançamento de Sistema - NSCCONT.

Nessa transação poderão ser verificados os documentos gerados, contabilizados

ou não. Caso o documento não tenha sido contabilizado, a CCONT/STN deverá

sanar o problema e confirmar o documento.

 

 

8 - ASSUNTOS RELACIONADOS

 

TIPO IDENTIFICAÇÃO

------------------------------------------------------------------------------

Documento NOTA DE LANÇAMENTO - NL

Documento NOTA DE LANÇAMENTO DE SISTEMA - NS

Documento NOTA DE MOVIMENTACAO DE CREDITO - NC

Documento ORDEM BANCARIA - OB

Macrofunção ENCERRAMENTO DO EXERCICIO

Macrofuncao UNIDADE GESTORA EM MOEDA ESTRANGEIRA

Transação CONSULTA TABELA TAXA DE CAMBIO - CONCAMBIO

 

 

9 - NOME DO COORDENADOR

 

ISALTINO ALVES DA CRUZ

Coordenador-Geral de Contabilidade

 


Manual Siafi
Última modificação: 2012-04-20 15:06
Data do documento: 2008-09-10 12:11